Carlinhos e o lobisomem

Conto de lobisomem – Carlinhos foi mordido por um lobisomem e sua missão era proteger e vingar as crianças que como ele sofriam nas mãos de monstros.

Carlinhos tinha 12 anos quando sua mãe morreu e ele foi morar com seu tio Ronaldo. Até este dia sua vida tinha sido como a vida de qualquer menino, morava com a mãe viúva a oito anos, numa casa bonita em Salvador na Bahia. Ia a praia com os amigos, frequentava o shopping sempre que tinha folga na escola, brinca a valer nos brinquedos do prédio e ria muito com sua mãe vendo as comédias que os dois adoravam. Sua mãe era funcionária federal e ganhava razoavelmente bem, só tinha um problema na vida de Carlinhos, sua mãe começou a beber quando perdeu o marido, ela bebia nos fins de semana mas quando começava era um perigo pois fumava e por mais de uma vez Carlinhos teve que apagar pequenos incêndios no quarto de sua mãe que dormia e deixava o cigarro aceso.

lobisomem
Foi numa dessas vezes, uma em que Carlinhos não acordou com o cheiro de fumaça pois estava muito cansado da praia, que o colchão de sua, mãe pegou fogo e ela morreu sufocada pela fumaça. A parti deste dia Carlinhos foi morar com o tio, irmão de criação de seu pai, seu único parente vivo uma vez que sua mãe era filha única. E quando Joaquim soube da morte de sua cunhada, pensou ter tirado a sorte grande, pensando que sua cunhada teria algum dinheiro guardado correu a adotar a criança, ledo engano, ele acabou com mais uma boca para alimentar e sem dinheiro pois a mãe de Carlinhos havia gastado suas economias num passeio com o filho ao exterior.

Joaquim ficou furioso, descontava todas as suas frustrações de fracassado na criança, permitindo a Carlinhos, uma criança de doze anos, conhecer uma vida infernal. Um menino que tinha de tudo, boas escolas, passeios ao exterior, bolos e doces quando quisesse, boas roupas e o amor da mãe, passou a ser tratado como um nada, era espancado diariamente por coisas ínfimas, constantemente humilhado e torturado, lembrado por seu tio que não tinha nem pai nem mãe, que havia deixado a própria mãe morrer.

Quando Joaquim bebia, o que acontecia quase sempre, Carlinhos tinha que se trancar no quarto para não ser espancado e tocado de uma forma que nenhuma criança deveria ser. Carlinhos aguentava tudo calado, pois acreditava que merecia ser tratado daquela forma por ter deixado a mãe morrer naquele dia horrível. Foi assim, que ele chegou aos seus 15 anos, com um corpo frágil e magro, com uma mente ferida totalmente machucada pelos maus tratos mentais e físicos perpetrados pelo seu tio louco.

Aconteceu numa noite linda de lua cheia numa sexta-feira, a primeira do mês, seu tio chegou em casa mais bêbado do que poderia e bem mais sedo do que Carlinhos esperava, (nos fins de semana Joaquim bebia muito e quando chegava em casa batia no sobrinho até desmaiar ou até Carlinhos conseguir fugir do Tio que tentava outras coisas além). Mas nesta noite Joaquim chegou ainda lúcido, se é que isso poderia ser possível, e desejava ver seu sobrinho de maneira diferente.

O jovem, pego de surpresa pelo horário de chegada do tio em casa, muito mais sedo naquela noite que o normal, não teve tempo de se trancar no quarto e acabou por tomar uma surra violenta, Joaquim bateu no menino como nunca, esbofeteou-o e chutou-o, quebrando-lhe os dedos da mão esquerda, espancando com uma violência inimaginável com um taco de beisebol, (ultimo presente da mãe de Carlinhos) o menino ficou desmaiado quase morto. O tio então pode fazer o que desejava a muito, desde sua chegada na vida do menino, fez e largou-se na cama ao lado da criança.

Quando Carlinhos acordou, e percebeu o que tinha acontecido ficou com tanta raiva do tio que pensou em matá-lo, em atear fogo nele e era isso que iria fazer, aproveitando que o tio estava completamente encharcado em bebida jogou um pouco mais de álcool na cama e pegou um fósforo, riscou-o e quando ia jogar, lembrou-se de sua mãe num quarto cheio de fumaça e fogo morta, completamente morta.

Quando acordou, estava deitado numa cama de hospital, olhando em volta soube por um calendário que tinha se passado mais de três semanas desde o ocorrido, soube ainda mais tarde por uma enfermeira que foi salvo pela velhinha que tinha se mudado para a casa vizinha naquela semana, a senhora escutou os gritos do garoto e chamou a policia, no entanto quando a policia chegou na casa de Joaquim, já era tarde, encontrou a casa completamente revirada e destruída, como se um urso imenso houvesse entrado e destruído tudo, porem, o mais assustador, era que o tio de Carlinhos, estava em todos os cinco cômodos da casa, ou as suas partes estavam, ele havia sido estraçalhado, transformado em poucas nojentas de sangue, ossos e cabelos.

Alguns policiais vomitavam, nunca tinham visto uma sena como aquela, não sabiam o que tinha acontecido, quem teria sido o assassino? Um animal não mata daquela forma, não mata como se estivesse se divertindo, ou se vingando. Carlinhos soube por esta enfermeira, que se afeiçoou muito a ele, que tinha sido encontrado na casa da vizinha, que ela, não havia escutado nada do que ocorrera com seu Joaquim, pois segundo ela, havia saído para procurar o menino.

Quando a polícia chegou à sua casa, ela estava com Carlinhos nos braços e cantava para ele, baixinho, como uma loba uivando para acalmar o seu filhote. No hospital no dia seguinte quando acordou, soube que a velhinha havia morrido serenamente em sua cama naquela noite, ela já tinha quase 112 anos, um milagre, diziam os médicos. Mas Carlinhos sabia o porquê, sabia o tipo de força tinha mantido aquela mulher viva por tantos anos, pois a mesma força havia passado para ele.

Ele sabia que durante a próxima lua cheia, ele se transformaria, seria então um pesadelo para todos os monstros em pele de seres humanos, eles é que deveriam ter medo, pois ele mataria um por um, cada molestador, espancador, assassino de criança, seria caçado e exterminado, eles iriam tremer, chorar e tentar se esconder, como fazem as suas vítimas. Carlinhos sabia em seu coração que esta era sua missão, que por isso o lobisomem o havia mordido, para proteger e vingar as crianças que como ele sofriam nas mãos de monstros. Para se tornar o Vingador da Lua.

Publicidade

Publicidade

Aviso: O Criptozoologia.com.br contribui para que a cultura brasileira continue ativa em questão a lendas, folclores e histórias passadas de geração para geração. Portanto esse artigo não é de nossa opinião e autoria e sim uma história popular.

Publicidade


O criptozoologia.com.br surgiu com o intuito de fornecer uma vasta quantidade de boas informações sobre esse mundo novo que é a Criptozoologia.

Leia também